O que é? Para que serve?


A idéia desse blog surgiu quando voltei da viagem ao deserto do Atacama, em Janeiro de 2011. Desde o fim de 2009 fiz postagens no cdfmoto.blogspot.com, criado e utilizado pela Ju e Toni. Como as nossas postagens começaram a ficar 'embaralhadas', optei por compilar os meus também para cá e, quem sabe começar a acrescentar algo mais...

Para que serve? Além de ser um depósito para os meus escritos, a intenção é que sirva para mais alguém curtir e até como fonte de informação para quem for viajar por esses caminhos. De moto ou não.

domingo, 16 de agosto de 2015

Na estrada de Honda Lead 110 cc

Apesar de continuar fazendo viagens de moto (não tantas quanto gostaria), faz tempo que não publico nada aqui. Como não tenho feito nada de 'diferente', não havia muita novidade para escrever. Mesmo assim muita gente tem curtido o viajando de moto no Facebook. Obrigado pessoal!!!
Já fiz muitas viagens de motos pequenas. CG 125, Bros 150, etc. Até de Biz 100 e Burgman 125 já fiz pequenas incursões em rodovias. Ocasionalmente vou para Jaboticabal a trabalho e, como tinha a oportunidade, dessa vez resolvi ir de Honda Lead 110 cc.


Certamente estava inspirado pelo Thiago Muzika, que está fazendo uma viagem de CG 125, saindo de São Paulo até Las Vegas, onde mora. O detalhe é que ele está fazendo isso pelo caminho mais longo, passando por Ushuaia e Prudhoe Bay, no Alaska. A Lead é a moto que uso para meus deslocamentos na cidade, mas ainda não havia saído para rodovias com ela. Ela tem um limitador de velocidade que, com aproximadamente 85 km/h, corta a injeção. Essa era a minha maior preocupação. Imaginava que seria muito pressionado pelos caminhões nas descidas. No entanto, isso não aconteceu nenhuma vez. Toda vez que via pelo retrovisor algum veículo encostava bem à direita da pista, ou saia para o acostamento quando possível, facilitando a ultrapassagem. Apesar de ficar o tempo todo de olho no retrovisor, várias vezes fui surpreendido por automóveis que apareciam de repente e me ultrapassavam.

Outra surpresa foi o consumo. Na cidade ela faz mais de 35 km/L, mas como não podia prever a autonomia levei junto um galão de gasolina para alguma emergência. A primeira média mal passou dos 25 km/L, mas foi 'melhorando' durante a viagem e terminou com mais de 30 km/L. A Lead também está equipada com um para-brisa Givi.



Outra surpresa foi, quando fui pegar a moto no estacionamento do hotel em Jaboticabal, ver o pneu traseiro vazio e com dois furos, atravessado por uma broca. Por sorte havia uma borracharia perto e o Charles Santos fez um ótimo trabalho usando o 'macarrão' (plug), o que me permitiu chegar em casa sem precisar desmontar a roda traseira. Nessa moto isso dá um trabalhão... tem que retirar até o escape...



Na estrada ficava praticamente o tempo todo com o 'cabo enrolado', deixando o limitador cortar a injeção nas descidas, tentando manter uns 80 km/h no plano e durante a ida nas subidas a velocidade caia para 60/65 km/h. Já na volta conseguia subir com um pouco mais de velocidade, uns 70 km/h. Creio que por ser pouco rodada (saí daqui com menos de 3.000 km), acabou 'se soltando' conforme foi rodando. Também deve ter sido esse o motivo da melhoria do consumo.


video

É possível viajar de Honda Lead? Sim, sem dúvida! Foram 860 km de uma experiência bem interessante, enfim. Mas não há necessidade de repeti-la...